skip to Main Content

PIMENTA OU CS, EIS A QUESTÃO

Tire suas dúvidas sobre a diferença entre os dois tipos de spray lacrimogêneo mais usados no mercado mundial

Nesses tempos de alta valorização de selos como Bio e Orgânico, em que as pessoas se preocupam, cada vez mais, com a origem dos produtos que consomem, uma interessante dúvida surgiu também sobre os dois tipos de gases lacrimogêneos usados pelas forças de segurança de todo o mundo: será que, pelo fato de serem extraídos de uma planta, os sprays de pimenta são menos agressivos e mais saudáveis para o ser humano do que o gásCS?

A revista Tecnologia e Defesa foi atrás das respostas à essa interessante questão e chegou à seguinte conclusão: quando utilizados de forma correta, como qualquer armamento não letal, nem um nem outro representam risco à vida humana. Mas, se eles forem ingeridos ou inalados diretamente, em grande quantidade, especialmente em ambientes fechados, tanto o gás de feito de pimenta quanto o CS são igualmente danosos. Ou seja, como tudo na vida, o treinamento para o uso correto dessas ferramentas é fundamental.

Mas a grande curiosidade que acabamos por descobrir é que, apesar da sua origem “natural”, na verdade o spray de pimenta consegue ser até mais forte que o gás CS, no que se refere à duração do seu efeito. Enquanto a irritação provocada pelo spray de pimenta pode durar até 40 minutos, os efeitos causados pelo gás CS não passam de dez minutos.

Pode parecer um detalhe, mas, na verdade, trata-se de umai informação fundamental na hora de as forças de segurança definiram as suas táticas e estratégias. Ou seja, em que situações o spray de pimenta ou o CS deve ser empregado.

Com a palavra, o coronel Ricardo Soares, coordenador de treinamento da empresa Condor Tecnologias Não Letais, que há 33 anos fabrica esse tipo de equipamento e é líder absoluta nesse segmento no Brasil e no mundo. “Para dispersar multidões, a pimenta não é um problema”, explica Soares. “Mas se o caso for, por exemplo, um guarda municipal apartando uma briga de rua, o tempo que ele terá que esperar pela recuperação do indivíduo atingido para levá-lo para fazer o registro na delegacia pode ser um problema do ponto de vista operacional”. Em situações como essa, explica Soares o spray de CS seria mais indicado que a pimenta. “Mas o efeito dos dois é igual”, pontua.

Tanto o spray de pimenta quanto o de CS causam a mesma sensação: irritação das mucosas dos olhos, nariz, boca e pulmão, causando lacrimação, coriza, tosse, dor nos olhos, cegueira temporária e dificuldade de respirar. A diferença está na forma como são produzidos.
No caso do spray de pimenta, o componente ativo é a oleorresina das plantas do gênero Capsicum – a capsaicina, obtida da pele da semente das espécies de pimenta conhecidas como chili e também da nossa famosa malagueta. No organismo dos pássaros, essa semente funciona como um anestésico natural. Já nos humanos, o efeito é de ardor.

Embora tenha como base essa planta tão apreciada pela culinária brasileira, sobretudo a baiana, o produto final manuseado por forças de segurança de todo o mundo não é completamente “natural”. É que, na fabricação do gás de pimenta, a capsaicina é misturada a uma espécie de óleo sintético, que tem como objetivo dificultar a remoção do produto. Por isso, é inútil que o alvo lave a área atingida com água. Pelo contrário, quanto mais elea esfrega, pior fica a sensação de irritação. Hoje, além da versão aerossol, há ainda os sprays de pimenta em forma de espuma, que são capazes de atingir um único alvo.

Já o CS, em suas mais diversas versões – em solução líquida ou em pó, usados em aerossóis, granadas e até munições – não tem nenhumvegetal envolvido na sua composição.

O CS temdizer sigla quer dizer 2-clorobenzilideno malonitrila e tem essa sigla pelo fato de ter sido descoberto por dois americanos, Ben Corson e Roger Stoughton, no MiddleburyCollege, nos EUA, em 1928. Ou seja: C de Corson e S de Stoughton.

O CS é um sólido branco que derrete a 96ºC e que, para ser usado, deve ser dissolvido em um solvente determinado e seguro, como uma solução de 5% em metilisobutil cetona. Ele não é solúvel na água. Por isso, ela não é usada. Outros compostos muito utilizados como gases lacrimogênios, além da pimenta, são os haletosorgânicos(compostos que possuem um átomo de halogênio (flúor, cloro, bromo ou iodo), mas o mais comum é o CS.

No Brasil, a única fábrica de CS existente pertence à Condor Tecnologias Não Letais. Desde 2009, quando investiu numa unidade para esse fim, a Condor, que é 100% brasileira e de capital privado, ganhou autonomia em produção de CS.

Até então, a empresa importava esse insumo dos Estados Unidos, França e China. E isso se constituía numa vulnerabilidade não só da empresa – cuja entrada no mercado internacional já começava a incomodar a concorrência estrangeira – ,mas também do Brasil, que dependia do fornecimento externo dessa matéria-prima tão importante para a segurança pública. O investimento, na época, exigiu dedicação integral da equipe técnica, a montagem de uma complexa planta industrial e a contratação de um engenheiro francês com experiência na produção de CS.